Dicionário Otaku e outras coisas….

Já faz quase um ano que me envolve com o universo Otaku, li vários mangás e assisti um monte de animes, dessa forma acabei me deparando com vários termos que nunca tinha ouvido antes, a maioria muito especificos da cultura japonesa. Os fãs da cultura pop japonesa estão meio que “divididos em tribos”, cada particularidade seja música, anime, mangá, jogos, cada área tem sua própria nomenclatura e termos próprios como vocês podem ver:

Otaku/Otome: É um termo usado no Japão para designar um fã (de forma exagerada) por um determinado assunto. No ocidente, a palavra é utilizada como uma gíria para rotular fãs de animes e mangás em geral. Otome é a mesma coisa só que o termo designa mulheres, e só é usado nesse sentido no ocidente.

Fujoshi: É o nome designado para as fãs de Yaoi ou Lemmon. A palavra literalmente significa Moça Estragada.

Fudanshi: É o nome designado para os fãs de Yaoi ou Lemmon.

Cosplay: Representação de personagem a caráter. É quando um otaku se veste com roupas iguais as dos personagens, é muito comum nos eventos Otakus e existem competições gigantes pelo mundo, alguns com prêmios realmente altos.

Mangá: é a palavra usada para designar as histórias em quadrinhos feitas no estilo japonês. No Japão, o termo designa quaisquer histórias em quadrinhos.

Já fiz um post aqui falando mais sobre os mangás, e muitos dos termos que estão nesse post, já foram falados por lá.

Anime: é qualquer animação produzida no Japão. No Japão essa palavra se refere a qualquer tipo de animação.

Light Novel: São livros de romance com algumas ilustrações no estilo anime/manga, normalmente tendo como público alvo adolescentes e jovens adultos. Também são chamadas de ranobe ou rainobe.

Dōjinshi: é um termo japonês para publicações independentes, geralmente revistas, mangás ou romances.

Mangaká: É a palavra japonesa para um artista de quadrinhos.  Fora do Japão, os mangakás refere-se ao autor do mangá, que normalmente é japonês.

Tankohon:  Tankohon ou tankobon é um termo da língua japonesa que a indústria de mangá para identificar brochuras de capítulos que possam fazer parte de uma série. Digamos que todo mês lança um capítulo, e quando é completado um tanto de capítulos eles juntam esses capítulos transformando em um mangá completo, o chamado tankohon.

Meio-tanko: É a metade de um tankohon. Digamos que um tankohon tem 10 capítulos, um meio-tanko são 5 capítulos.

Oneshot:  É um termo utilizado para mangás que contenham somente um capítulo não fazendo parte de uma série, seja ele curto e postado de uma só vez ou longo e postado em partes.

Chibi: É um termo japonês utilizado no contexto de anime ou mangá para descrever um traço de desenho de personagem bastante estilizado, com cabeças no mesmo tamanho dos corpos, geralmente para obter um efeito cômico ou mais sentimental. Um traço marcante dos chibi é que quase sempre não é desenhado o nariz, o traço da boca nem sempre é finalizado e os traços em geral são bem simplificados.

Arco: É uma saga de anime.

Filler, Filler-Canon e Semi-filler: Já falei sobre isso aqui.

OVA: é um formato de animação que consiste de um ou mais episódios de anime lançados diretamente ao mercado de vídeo (DVD e Blu-ray), sem prévia exibição na televisão ou nos cinemas do Japão. OVAs servem como complementos ou paralelos na história original, normalmente tem duração igual ou um pouco maior que a duração padrão de um episódio de anime (25 minutos), mas nunca alcança a duração de um longa-metragem.

OAD: É um episódio extra assim como OVA. porém costuma vir juntamente com uma edição especial do manga.

Omake: É um termo para os capítulos extras ou tirinhas nos mangás, e são os extras dos DVDs e nos jogos incluídos na compra de algum produto. No Ocidente, refere-se apenas aos extras que vêm incluídos na compra de anime ou mangá. As vezes é um capítulo a mais em um anime.

Seiyuu: São os dubladores originais de um anime.

Live Action: São os filmes, geralmente americanos ou japoneses, feito por atores reais, de carne e osso e muitas vezes baseado em animes.

No ocidente, a maioria das pessoas, tem a ideia que desenhos e revistas em quadrinhos são coisa para criança, mas no Japão a material é voltado para todas as idades, de crianças a idosos, por isso é importante olhar a classificação antes de deixar seu filho assistir/ler algum anime/mangá, você pode ter surpresas chocantes..kkkk

Além da divisão por tema (romance, comédia, drama, etc) que conhecemos, no Japão é comum fazerem a classificação por faixa demográfica:

Kodomo: Gênero de anime infantil. Ex: Pokemon, Beyblade, Dinossauro Rei.

Shoujo: Gênero de anime romantico, dedicado às meninas. Ex: Kaichou wa maid-sama, Kimi ni todoke, Toradora.

Shounen: Gênero de anime, geralmente, de luta, dedicado aos meninos. Ex: One Piece, Bleach, Naruto.

Josei: Gênero de anime dedicado à mulheres acima de 20 anos, podendo conter violência ou sexo. Ex: Gokusen, Nodame Cantabile.

Seinen: Gênero de anime  dedicado à homens acima de 20 anos, podendo conter violência ou sexo. Ex: Death note, Gantz.

Eles também possuem alguns gêneros particulares, toda nova temporada de lançamento de animes geralmente tem pelo menos um dentro de uma dessas categorias:

Mecha: Gênero de anime em que um dos personagens principais são robôs ou ficam dentro do robô e lutam, ou controlam com controle remoto, ou algo do gênero. Ex: Evangelion, Full Metal Panic!

Mahou Shoujo: Gênero de anime com o mesmo sentido de shoujo, porém, com um tipo de personagem feminina jovem com poderes mágicos. Ex:  Sailor Moon , Cardcaptor Sakura, Meninas Super Poderosas Geração Z.

Harém: Gênero de anime que apresenta um personagem masculino ou feminino, que vive rodeado por várias personagens do sexo oposto. Ex: Sora No Otoshimono, Love Hina, Rosario + Vampire.

Yaoi: Gênero de anime que apresenta conteúdo homossexual. Só é chamado de Yaoi no ocidente. No Japão é chamado de BL (Boy’s love – amor entre meninos).

Shounen-ai: São quase yaoi, mas conta outras histórias, e é muito mais leve.

Yuri: Gênero de anime que apresenta  relações românticas entre mulheres.

Shoujo-ai: São quase yuri, mas conta muitas outras histórias, e é muito mais leve.

Ecchi: Gênero de anime  que apresentem a sensualidade como principal tema, porém que não exibe em nenhum momento sexo. (Isso é irônico porque no Japonês ecchi significa sexo.)

Nekketsu: tipo de mangá em que as cenas de ação, onde os personagens defendem os valores da amizade e do treinamento. Exemplos: Dragon Ball, Hokuto no Ken, One Piece, Bleach, Naruto, Saint Seiya.

Spokon : mangá esportivo. O termo vem de contração da palavra inglesa “sport” com a japonesa “konjō” que significa “coragem”. Exemplos: Inazuma Eleven, Eyeshield 21, Captain Tsubasa

Gekiga : mangás adulto e temas dramáticos Exemplos: Lobo Solitário, Crying Freeman, A Lenda de Kamui.

 

Lembra que eu disse que tem que tomar cuidado com os animes que deixa seus filhos verem??

Hentai:  Gênero de anime que apresenta pornografia explícita. (mais irônico ainda, porque Hentai é uma palavra comum que significa pervertido.)

Lolicon: Gêneros de anime que retratam meninas menores de idade (de 6 a 14 anos) em situações sexuais ou de nudez.

Para quem quer acompanhar animes e mangás aqui no Brasil, já deve ter percebido a escassez de material, não é? Apesar de existir editoras nacionais que publicam mangás traduzidos como a JBC, NewPOP e Panini, o número é ínfimo se comparado aos lançamentos no Japão. Com os animes a situação é ainda pior, poucas emissoras passam e quando passam são reprises das reprises dos mesmo. E quando há o lançamento dos DVD’s por aqui são com preços absurdos! Apesar que a Netflix até comprou os direitos de alguns animes, mas ainda são poucos. Uma opção de forma legal é o Crunchyroll, mas também não são todos os animes que aparecem por lá.

O que acaba meio que nos “obrigando” a procurar outros meios para ter acesso, essa é a principal justificativa para o surgimento dos diversos grupos de scanlation e Fansub.

Que são grupos de fãs que traduzem por conta própria os mangas e animes e liberam na internet para outros fãs sem cobrar nada por isso, o que vocês devem saber que é ilegal, pois não repassa os direitos aos autores, ou seja é pirataria.

No caso dos materiais que não são licenciados no Brasil eu não vejo opção, mas acho sacanagem quando os grupos traduzem algo que tem como ser adquirido legalmente, até para os próprios fãs é ruim, pensem seu autor preferido está sendo roubado!

Comecei a comprar mangás a pouco tempo, não tenho muitos, eu prefiro assistir animes do que ler mangás, mas fiz questão de ter na minha coleção alguns títulos, por exemplo gosto muito do trabalho de Hinako Takanaga, mas aqui no Brasil apenas um mangá dela foi publicado “Croquis” (que nem é dos melhores dela) pela NewPOP, demorei um pouco, mas comprei, queria muito que os outros fossem publicados faria questão de comprar!

E vocês? Tem alguma obra não publicada no Brasil que vocês comprariam se fosse lançado?

Fonte: Skdesu,

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s