Anna Leonowens

Provavelmente você não ligou nome a figura, eu mesma não sabia que ela existia de verdade, assisti novamente o filme de 1999 e ao pesquisa-lo acabei me deparando com sua história real.

Anna Harriette Leonowens (5 November 1831 – 19 January 1915), tornou-se conhecida com a publicação de suas memórias, “Governanta no Siamese Court” (1870), que narrou suas experiências no Sião (atual Tailândia), como professora para os filhos do rei Mongkut Siamese.

Sua biografia é bem interessante até sua origem é uma mistura de fato e ficção, ela se dizia britânica, mas o material que li relata que ela na verdade tentava esconder sua origem de mestiça.

A história como a conhecemos foi romantizada pela escritora americana Margaret Landon e publicada em 1944, “Anna and the King of Siam” é baseado nos diários de Anna Leonowens, a história se concentra essencialmente no choque cultural entre os valores vitorianos do Império Britânico e as leis autocráticas do Sião durante o reinado de Mongkut.

Este livro deu origem a três filmes:

  • “Anna and the King of Siam”, versão de 1946, com Irene Dunne e Rex Harrison.
  • “O rei e eu”, versão de 1956, com Deborah Kerr e Yul Brynner.
  • “Anna and the King”, versão de 1999, com Jodie Foster e Chow Yun-Fat.

Eu assisti duas das versões cinematográficas (56 e 99), que já possuem diferenças grandes entre si, sendo o primeiro um musical premiadíssimo e o segundo um blockbusters, eu não gosto muito de musicais por isso não posso dizer que o filme de 56 me agrade, mas o de 1999 é muito bom, para que não sabe Tom Felton (o Draco de Harry Potter) está nesse filme, ainda criança como o filho de Anna.

Polêmica

A veracidade das palavras de Anna Leonowens em seu diário é objeto de um ardente debate.
Os historiadores tailandeses refutam que tenha havido qualquer proximidade entre Anna e o rei na vida real, tendo ambos se encontrado apenas uma ou duas vezes nos cinco anos em que ela permaneceu dando aulas na corte.
A exibição do filme de 1956 é proibida na Tailândia desde o seu lançamento. O órgão nacional de censura do país considera a visão ocidental da biografia do rei preconceituosa. Há, ainda assim, um comércio de cópias piratas em vídeo. A versão de 1999 também foi banida nos cinemas do país.
O governo local impediu inclusive que as filmagens fossem realizadas em solo nacional, levando equipe e elenco a rodarem as imagens em locações no interior da vizinha Malásia. Ali foram construídas réplicas do palácio real de Bancoc e outros sítios históricos da capital tailandesa.
As restrições feitas pela censura local dizem respeito a como o rei é retratado por Anna como um oriental ignorante apaixonado pelas virtudes e tecnologia do Ocidente em detrimento da tradição tailandesa. Também consideram preconceituosa a apresentação da relação do monarca com suas diversas concubinas e sua posição autoritária quanto aos serviçais.

Fonte: Folha,

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s