Dica literária e filme: Orgulho e Preconceito

“Orgulho e Preconceito” é um romance da escritora britânica Jane Austen (1775-1817), publicado pela primeira vez em 1813.

ORGULHO_E_PRECONCEITO_1274458978P

Sinopse no Skoob: Na Inglaterra do final do século XVIII, as possibilidades de ascensão social eram limitadas para uma mulher sem dote. Elizabeth Bennet, de vinte anos, uma das cinco filhas de um espirituoso, mas imprudente senhor, no entanto, é um novo tipo de heroína, que não precisará de estereótipos femininos para conquistar o nobre Fitzwilliam Darcy e defender suas posições com perfeita lucidez de uma filósofa liberal da província. Lizzy é uma espécie de Cinderela esclarecida, iluminista, protofeminista. Neste livro, Jane Austen faz também uma crítica à futilidade das mulheres na voz dessa admirável heroína — recompensada, ao final, com uma felicidade que não lhe parecia possível na classe em que nasceu.

Pra mim é uma história fascinante, eu assisti primeiro o filme de 2005 estrelado por uma de minhas atrizes favoritas Keira Knightley, e fiquei encantada, indo atrás do livro que gostei bastante.

Orgulho e preconceito já foi alvo de diversas analises versões, adaptações e imitações, confiram:

No cinema a primeira versão surgiu em 1940, Estrelado Greer Garson e Laurence Olivier.

orgulho e preconceito 1940

Em 2003 surge uma comédia adolescente com Kam Heskin e Orlando Seale.

orgulho e preconceito comédia

Em 2004, Noiva e Preconceito uma adaptação Indiana de Bollywood, trás Aishwarya e Martin Henderson.

noiva e preconceito

Em 2005 aparece um de meus filmes favoritos, estrelado por  Keira Knightley (indicada ao Oscar pela interpretação) e Matthew Macfadyen.

orgulho e preconceito 2005

Para a televisão a primeira versão foi em 1980, estrelado Elizabeth Garvie e David Rintoul.

orgulho e preconceito 1980

E em 1995, estrelado Jennifer Ehle e Colin Firth (sou doida para assistir essa versão)

orgulho e preconceito série

Na literatura surgiu alguns trabalhos que se inspiraram na obra de Jane Austen, com certeza o mais comentado foi a versão “Orgulho e preconceito e Zumbis”, eu não li ainda, mas qualquer dia tomo coragem e vou dar uma olhada, muita gente diz que é bom, vai saber.

orgulho e preconceito e zumbi

Nessa onda de transformar romances clássicos em histórias de horror, outras obras de Jane entraram no bolo, inclusive uma sobre ela “Jane Austen: A vampira” de Michael Thomas Ford, que eu li e de fato é divertido.

Trata-se de uma critica ao uso do nome de Austen em tudo que é tipo de campanha para ganhar dinheiro, já que os fãs dela acabam sempre querendo ver tudo que é tipo de material novo, mesmo que seja só para criticar.

Anúncios

3 comentários sobre “Dica literária e filme: Orgulho e Preconceito

  1. Olá!
    Como uma fã de Jane Austen, admiro muito o filme Orgulho e Preconceito (2005) e a minissérie de 1995 do BBC. É incrível como Jane conseguiu atravessar 200 anos e ainda ser atual.
    Amei seu blog!
    Beijos!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s